Jornalismo trocou empresas por ONGs e fundações como definidores de pauta

2
Rio de Janeiro -03 04 2018 O ato Luzes para Marielle e Anderson reune centenas pessoas segurando velas e lanternas em memoria de ambos que foram assassinados na cidade do Rio de Janeiro (Vladimir Platonow/Agencia Brasil)
Anúncio:

[Trecho do livro Fake News: quando os jornais fingem fazer jornalismo, de Cristian Derosa]

A Fundação Marielle Franco foi o resultado de um investimento de 10 milhões de dólares do milionário George Soros, através de sua entidade Open Society, para um objetivo de formação de lideranças políticas no Brasil. Desde então, muitas pessoas se perguntam por que a vereadora do PSOL tem sido pauta constante nos grandes jornais do país. A resposta é uma mudança no modelo de negócio do jornalismo, que o tornou refém de belas causas e grandes fortunas.

Anúncio:

Uma das mudanças sociais mais importantes deste final do século XX e início do XXI acabou nos escapando por completo, embora influencie diariamente no modo como são elaboradas as notícias que lemos nos jornais e no modo como as recebemos. Para explicar essa mudança, é preciso dizer que o período em que os jornais tinham a função de informa...

Conteúdo

Clique aqui e desfrute cursos, artigos e estudos exclusivos.
Apoie veículos independentes.


Se você já é assinante faça seu login abaixo: