Gen. Mourão diz preferir massacre de inocente a uma guerra civil

12
Anúncio:

O vice-presidente, Hamilton Mourão, é general da reserva, mas disse, em entrevista, que caso o povo da Venezuela estivesse armado e pudesse se defender do massacre em andamento pelo ditador Maduro, seria bem pior, pois então teríamos uma guerra civil. É só ver o vídeo no final da matéria.

Essa declaração de Mourão é suficiente para o considerarmos um covarde criminoso, além de um flagrante traidor do governo do qual faz parte. Sim, é possível que Mourão não acredite no que disse. Mas a sua declaração demonstra a falsidade de um maquinador que gosta de ser ovacionado por jornalistas.

Percebam que, ao terminar a primeira frase, ele estava aparentemente chamando a atenção para o massacre covarde do ditador venezuelano contra um povo desarmado. Mas ao enfatizar que os venezuelanos estavam desarmados, tomou conta dele um profundo medo de parecer direitista aos ouvidos fiscalizadores da extrema-imprensa, para os quais tem uma orgulhosa sensibilidade. Então, para não perder o timing dos microfones e holofotes que iluminavam o semblante de necessária serenidade, emendou com a asneira sanguinária, típica dos mais torpes covardes da história humana, ao insinuar que se os venezuelanos pudessem se defender de Maduro, seria bem pior.

Anúncio:

“A população está desarmada… e tem que estar, não é? porque senão nós teríamos uma guerra civil, o que seria pior”

Não é exagero, portanto, nem distorção das suas palavras, se dissermos que ele prefere um massacre de inocentes a uma guerra civil. Guerra, por definição, pressupõe ao menos uma relativa igualdade de posições e condições de defesa. Mas o que Mourão prefere e acha mais seguro é o massacre, é claro. Maduro também acha.

O que poderíamos dizer em sua defesa? Que a intenção não foi essa e que a sua opinião verdadeira não é essa. Ok, então temos aí um dissimulador covarde, que não tem coragem de dizer o que pensa, exceto se isso for contra o presidente a quem ele deve obediência.

Mourão é o câncer deste governo e enquanto ele, e talvez outros generais por trás dele, estiverem no poder, podemos esperar o sepultamento definitivo da direita no Brasil, transfigurada sob uma tutela militaresca e positivista que tenta se disfarçar de politicamente correta.

Que ninguém venha criticar esta opinião sob a desculpa de que a grande mídia é quem cria divisões no governo. É só assistir ao vídeo abaixo. Se o general é tão sensível à pressão psicológica dos jornalistas da esquerda, porque os da direita deverão aliviar para ele?