Governo de SC (PSL) retira informação do ar e governador acusa EN de Fake News

3
Anúncio:

Em seu perfil do Twitter, o governador de SC, Carlos Moisés (PSL), respondeu à postagem de um leitor do Estudos Nacionais que se referia à matéria sobre o polêmico acordo internacional com a Agenda 2030 (leia aqui), da ONU. Bem menos elegante que a sua assessoria de imprensa, que nos encaminhou nota que publicamos aqui, o comandante Moisés alegou que o acordo havia sido assinado na gestão anterior e classificou a postagem de Estudos Nacionais como Fake News.

Acontece que, quando fomos confirmar a informação no dia de hoje (12/02), ela havia simplesmente desaparecido do site do governo. Mas havia sido compartilhada por outro site, o Sindicato dos Fiscais da Fazenda (veja aqui), onde se pode ler a informação de que a assinatura foi, de fato, feita no dia 7 de fevereiro de 2019, portanto, na atual gestão, conforme print abaixo.

Anúncio:

De fato, um grande acordo foi firmado em 22 de outubro de 2018, entre o Estado e a entidade Nós Podemos SC. Mas no último dia 7 de fevereiro de 2019, a Secretaria de Estado da Fazenda firmou um “acordo de cooperação técnica entre Secretaria” e a entidade que promove a Agenda 2030 em Santa Catarina, conforme linkado na matéria de EN. Toda essa informação está disponível no site da Sindifisco, conforme print abaixo:

Clique para ver maior

Talvez o governador tenha se referido a esse primeiro e mais abrangente acordo, de fato, assinado pela gestão anterior. Mas o acordo da semana passada ratifica a continuidade do convênio, motivo maior da matéria de EN.

Qual o motivo de a informação sobre o último convênio ter desaparecido? E mais: quando um governador do PSL, eleito com slogan conservador, classifica publicamente um site conservador como Fake News, como ficam os eleitores que votaram nele por estar aliado a Bolsonaro? A menos que tenha havido um grave e estranho erro do setor de comunicação do governo ao divulgar a assinatura de um acordo com a data errada, a acusação feita pelo governador em seu perfil, é falsa e preocupante.

O Estudos Nacionais se coloca à disposição para esclarecer o fato, na esperança de que o governo também tenha essa disposição.

Erro ou mentira, não é mais possível esconder. Tanto na pré-visualização (thumb) do link nas redes sociais (ver prints no fim da matéria), quanto na busca do Google, é possível visualizar tratar-se de matéria a respeito da Agenda 2030 que, no entanto, parece não existir mais. Ao clicar no link, aparece a imagem de erro ao lado:

Com isso, o governador eleito pelo PSL, partido de Bolsonaro, além de assinar um pacto internacional profundamente contrário aos valores da maioria da população brasileira e catarinense que o elegeu, tenta mentir e ocultar a prova da sua mentira, o que só pode ter sido feito com a cooperação de parte do governo.

O leitor pode ver nos prints abaixo da postagem de leitor do EN que contestava o acordo e foi respondido pelo governador. O leitor julgue por si mesmo se o atual governador representa, de fato, o eleitorado que o elegeu. Veja os prints abaixo.